quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Ingredientes que realçam o sabor - parte II


Hortelã (mentha)

Menta e hortelã são dois nomes para um mesmo tipo de erva: a mentha. No Brasil, chamamos de hortelã os pezinhos da espécie Mentha Piperita, e de mentha, os da Mentha Spicata. Tempero famoso entre os árabes e muito comum em chás e sucos, tem cada vez mais se popularizado na cozinha contemporânea.

Conhecida desde a antigüidade Greco - romana, Menta era o nome de uma ninfa que se apaixonou  pelo deus Plutão. Perséfones, a deusa do mundo subterrâneo, descobriu a paixão da ninfa e, graças à sua ira e ciúme, transformou-a em uma planta rasteira.

Os Romanos usavam a hortaliça em banhos e perfumes e foram eles que a levaram para a Europa.

Hoje, ela pode ser usada à vontade e seu sabor e aroma marcantes dão muita personalidade às receitas. A hortelã vai bem em molhos de tomate, alcaparras, saladas e sucos, além de ser excelente tempero para carnes. Suas folhas também podem ser usadas para decorar pratos e sucos.

Além de muito saborosa e perfumada, é rica em vitaminas C e A, cálcio e ferro, tornando sua receita ainda mais saudável.

Orégano (Origanum Vulgaris)

As propriedades aromáticas e medicinais do orégano são conhecidas desde a antiguidade. A palavra orégano (de Origanum) tem origem grega e significa "alegria da montanha". A erva já era valorizada na Grécia Antiga por seu aroma e sabor fortes, mas foram os romanos que difundiram seu uso por todo o império até que ela chegasse à gastronomia italiana.

Ainda hoje ele é um dos temperos mais utilizados em pratos italianos como molhos de tomate, berinjela à parmegiana, massas e, é claro, nas pizzas, além de dar um toque especial às saladas frescas. Ao contrário da maioria das ervas, que ficam melhores frescas, ele deve ser usado preferencialmente seco.

Uma curiosidade: considerado um tônico para o aparelho digestivo, o óleo essencial* do orégano pode auxiliar na digestão.

*Composto por cervacol, cimeno, linalol e tanino.

Receita curiosa: Vinagre Temperado

Os gregos costumavam preparar um vinho aromático e digestivo com ramos de orégano. Para o nosso paladar, o melhor é adaptar essa receita para o preparo de um delicioso vinagre, ideal para temperar saladas, carnes e outros alimentos.


  1. Lave bem um ou dois ramos de orégano fresco. Deixe secar completamente.
  2. Esterilize uma garrafa e, depois de bem seca, coloque os ramos de orégano fresco. Complete com vinagre de vinho branco ou maçã até cobrir a erva completamente.
  3. Feche bem, usando uma rolha e deixe descansar por uns 15 dias. Agite o vidro antes de usar.
Fonte: Sadia

Nenhum comentário:

Postar um comentário