terça-feira, 23 de agosto de 2011

Curiosidades sobre o vinho





  • As melhores vinhas, plantações de uva, para a produção de vinhos de qualidade crescem quase exclusivamente nas latitudes entre os 30º e 40º ao Norte e entre os 30º e 40º ao Sul. As vinhas mais ao Sul pertencem à Nova Zelândia, próximo do paralelo 45. Isso porque nessas regiões as condições climáticas oferecem a quantidade perfeita de luz solar e chuva, permitindo um bom amadurecimento da uva com os teores ideais de água e açúcar. Esse equilíbrio somado à qualidade da vinha e do solo (terroir) é que torna o vinho melhor que em outros lugares do mundo.
  • Na mitologia grega, Dionísio é conhecido como o deus do vinho, filho de Zeus e da princesa Sêmele, é o único deus filho de uma mortal, depois de conceder um pedido irracional a Sêmele, o qual levou - a à morte, Zeus entrega Dionísio às ninfas, que cuidam dele durante a infância. Ao se tornar homem, Dionísio se apaixona pela cultura da uva e descobre a arte de extrair o suco da fruta. Porém a inveja de Hera leva Dionísio a ficar louco, e vagar por várias partes da Terra. Quando passa pro Frígia, a deusa Réia o cura e o instrui em seus ritos religiosos. Curado, ele atravessa a Ásia ensinando a cultura da uva. Quis introduzir seu culto na Grécia depois de voltar triunfante da sua expedição à Índia, mas encontrou oposição de alguns príncipes receosos do alvoroço causado por ele. Por causa desta sua paixão pela cultura da uva, Dionísio após sua morte, passou a ser cultuado pelos gregos como sendo o deus do vinho!
  • Os vinhos de péssima qualidade são designados por "zurrapa".
  • Há uma lenda interessante envolvendo os vinhos Chianti: Em meados do século XVII, as disputas políticas envolvendo as cidades de Siena e Firenze (Florença) quanto à extensão territorial de cada uma alcançaram também a denominação dos vinhos Chianti. A fim de resolver essa questão, foi proposta a realização de uma prova ára a delimitação das fronteiras. A prova, uma corrida, envolveria um cavaleiro de cada cidade que deveria sair em direção à outra assim que o galo cantasse na alvorada. A fronteira seria o ponte onde eles se encontrassem. Acertado isso, o povo de Siena elegeu um galo bonito, jovem, bem nutrido para cantar na alvorada, enquanto que o povo de Firenze escolheu um galo negro, magro e mal alimentado. É claro que o galo de Firenze acordou mais cedo, pois tinha fome, e cantou antes do galo de Siena, fazendo com que o cavaleiro de Firenze tivesse boa vantagem. Essa vantagem fez com que os cavaleiros já se encontrassem bem pertos de Siena e, como consequência, a cidade de Firenze conquistou um território maior que a vizinha. Dizem que essa disputa também levou para Firenze a exclusividade do nome Chianti que é representada nas garrafas por um galo negro.
  • O uso do vinho é proibido sob as Leis Islâmicas. O Irã chegou a ter uma indústria vinícola que desapareceu depois da Revolução Islâmica de 1979. Tal fato, sucedeu também com outros países de maioria islâmica, antigas colonias européias (principalmente francesas), tais como a Argélia. Contudo, outro país de maioria muçulmana, o Líbano, tem uma florescente indústria vinícola.
  • O vinho "estragado" é aquele que sofreu oxidação devido ao contato com o ar ou que não foi armazenado corretamente. Com o passar do tempo, a oxidação do vinho faz alterar a sua cor tendendo para o laranja ou âmbar, seja ele tinto ou branco.
Fonte de consulta:
Portal de vinhos

Nenhum comentário:

Postar um comentário