segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Transplante de células-tronco é forte aliado no tratamento do câncer

Dados publicados pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA) e pela Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica indicam que o câncer infantil já se tornou a doença que mais mata crianças e adolescentes entre 5 e 18 anos no país. A leucemia é o tipo mais frequente de câncer infantil, sendo a leucemia linfóide aguda (LLA) a de maior ocorrência. Entre o linfomas, o mais incidente na infância é o linfoma não-Hodgkin.
O transplante de células-tronco é importante aliado no tratamento de muitos tipos de câncer. O uso de células-tronco do cordão umbilical em casos de leucemia está se tornando frequente. Dados da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos mostram também que vêm crescendo o número de transplantes autólogos (do próprio indivíduo). E entre os transplantes com células autólogas o que tem o procedimento mais simples e de menor risco para o paciente é o do sangue de cordão umbilical. Isso porquê:
- A coleta é indolor, feita durante o parto;
- É a única oportunidade de se colher as células-tronco sem expor o bebê a procedimentos cirúrgicos;
- As células-tronco do cordão umbilical se conservam jovens (têm idade zero, a idade do bebê) e, por não terem sido expostas a doenças, tornam - se a melhor fonte de células para transplante.
-As células-tronco podem gerar vários tecidos.

A descisão da família de criopreservar as células-tronco do sangue de cordão umbilical é muito importante.

A chance de se encontrar um doador (para medula ósse) compatível é de 1 para 1 milhão de pessoas. Quando o transplante é autólogo, a compatibilidade é de 100%.

Hoje, mais de 95 doenças são oficialmente tratadas com a terapia de células-tronco.*
* Transplantes com células alogênicas.

Artigo: Informativo Cellpreseve ano 4 nº. 7 
http://www.inca.gov.br/estimativa/2008/index.asp?link =conteudo_view.asp&ID=5


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário