terça-feira, 28 de setembro de 2010

Saúde da mulher

Acompanhando uma amiga ao Laboratório Helion Póvoa Medicina Diagnóstica, encontrei um folder que considero ter dicas muito importantes para a saúde da mulher... então compartilho com vocês um pouco de seu conteúdo.
 
"A manutenção da saúde feminina exige diversas atitudes preventivas nas diferentes fases da vida. Veja quais.
Além de andar sempre às voltas com a oscilação dos hormônios, a mulher está sujeita a doenças tipicamente femininas, em particular o câncer de colo uterino e o câncer de mama.
Contudo, graças às medidas de prevenção e diagnóstico precoce, felizmente tem havido uma diminuição na incidência e na mortalidade dessas condições.
É possível evitar efetivamente o tumor no colo uterino por meio da colpocitologia oncótica anual, o Papanicolau, que deve começar a ser feito com o início da atividade sexual, sempre orientação de um ginecologista.
Já o câncer mamário não pode ser prevenido da mesma forma, porém a realização períodica de uma mamografia, uma espécie de raio X das mamas, a partir dos 40 anos de idade, permite identificar esse tumor numa fase inicial, quando as chances de cura são bastantes elevadas.

Múltiplos papéis

Ao mesmo tempo em que a ciência mostra o caminho d prevenção de males femininos, observam-se cada vez mais mulheres com pressão alta, obesidade, diabetes e colesterol alto, condições que, num passado recente, incidiam de forma predominante nos homens.
Muitas mulheres hoje acumulam funções e fazem grandes malabarismos para atender às demandas da casa, dos filhos e do trabalho, deixando a saúde de lado.

Para neutralizar os perigos desse ritmo, o ideal é manter o equilíbrio entre as exigências atuais e adotar um estilo de vida mais saudável, não apenas com tempo para consultas e exames, mas também para comer, dormir e viver bem.

Flutuações hormonais

A tensão pré-menstrual, ou TPM, problema que aflige em torno de 70% das mulheres, pode ser aplacado com a prática de atividade física, com mudanças na alimentação, boas noites de sono e, se preciso, tratamentos medicamentosos.
Depois que a menopausa ocorre, a TPM se vai, mas a queda brusca na produção de hormônios femininos usualmente causa um impacto significativo ao corpo da mulher, podendo dar origem a onda de calor, insônia, alterações de humor, ganho de peso, ressecamento vaginal e diminuição do desejo sexual.

Além disso, a baixa hormonal significa igualmente a perda de um efeito protetor sobre a saúde do coração e dos ossos. No entanto, assim como a TPM, a menopausa também pode ser administrada com orientação médica adequada."
* Texto extraido do folder do LABORATÓRIO HELION PÓVA_SAÚDE DA MULHER

Nenhum comentário:

Postar um comentário